Acessibilidade
Contraste

08 de julho de 2019

“Dia S” coroa mais de sessenta dias de atividades do Sistema Fecomércio RN

O Centro de Natal, localizado no bairro da Cidade Alta, é uma das mais antigas referências comerciais da capital potiguar. No espaço, estão reunidas lojas de varejo de vários segmentos, como roupas, cosméticos, perfumaria, eletrônicos, artigo religiosos, em uma gama de opções que atraem o consumidor. Por isso, foi o local escolhido para a primeira edição do programa Sistema em Movimento. Na sexta-feira (5), na praça 7 de Setembro, onde foram concentradas as ações e atividades oferecidas pelo Sistema Fecomércio Rio Grande do Norte, aconteceu o Dia S, que marcou o fechamento desta edição. Confira imagens do evento aqui.

O programa Sistema em Movimento faz parte das comemorações pelos 70 anos da Fecomércio RN, vem acontecendo desde o início do mês de maio, no Centro da Cidade e tem como foco a oferta de um grande mutirão de ações e atividades, durante um período de aproximadamente 60 dias em cada polo comercial em que aportar. No Centro da Cidade, foram oferecidos produtos e serviços de excelência da Fecomércio, Sesc e Senac.

Os comerciários, comerciantes e a população em geral tiveram acesso a corte de cabelo, esmaltação de unhas, design de sobrancelha, maquiagem, massoterapia, acupuntura, oficinas de trabalhos manuais e food trucks. Para abrilhantar o evento, houve a apresentação do cantor Luizinho Nobre.

“O Sistema em Movimento é uma forma que encontramos de otimizar e concentrar ações de todas estas áreas em alguns dos principais polos comerciais do RN. E optamos por começar exatamente pelo Centro Histórico de Natal. Neste conjunto de ações se insere a pesquisa que traçou o perfil do consumidor que frequenta o comércio do Centro, realizada pelo nosso IPDC. São informações valiosíssimas para o planejamento destes empreendedores e cujo resumo vocês podem verificar em um totem posicionado no espaço da ação de hoje”, afirmou o presidente Marcelo Queiroz.

Para executar o programa, equipes do Sesc, do Senac e da Fecomércio visitaram cerca de 200 empresas dos segmentos de Comércio, Serviços e Turismo do polo para identificar e programar as ações. Com o resultado da demanda, cerca de 500 pessoas do público-alvo participaram de cursos rápidos de capacitação e qualificação na unidade Móvel Senac de Informática e Gestão, além de atendimentos na unidade móvel Sesc Saúde Mulher. Esta última atendeu cerca de 600 pacientes. Neste último serviço, os atendimentos seguem até agosto.

Além desse trabalho, em paralelo, foi lançado o projeto Senac no Beco, com capacitações voltadas para estabelecimentos localizados no tradicional Beco da Lama. Desde do dia 10 de junho até novembro, cerca de 50 empreendedores estão se qualificando, de forma gratuita, com cursos de gastronomia, segurança alimentar, saúde, gestão e idiomas. Os empreendedores que concluírem os cursos e tiverem as novas práticas implementadas atestadas por auditoria técnica do Senac, receberão o selo do Programa Senac de Qualidade para Bares e Restaurantes.

Na ocasião, também foram apresentados os números que permitirão conhecer e entender o comportamento do consumidor do Centro da Cidade. O Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio da Fecomércio RN (IPDC/Fecomércio RN) realizou um levantamento e entregou cópias ao presidente da Associação Viva o Centro, Delcindo Mascena.

Pesquisa traça perfil do consumidor no Centro Histórico

Entre os dias 3 e 8 de junho, mais de 600 pessoas foram questionadas, o que gerou um relatório do diagnóstico do consumidor no Centro de Natal. O levantamento constatou que 51,4% são mulheres e 48,6% homens; e 83,4% são de Natal e 16,6% de outros municípios.

Entre os consumidores de Natal, 30% residem na zona Norte; 23,1% na zona Leste; 18,8% na zona Oeste e 11,5% na zona Sul. Com relação aos consumidores de outros municípios, os mais mencionados foram Parnamirim (4,2%); São Gonçalo do Amarante (3,8%); Extremoz (2,8%); Macaíba (1,2%) e Ceará Mirim (1%).

O maior motivo dos consumidores frequentarem o comércio da Cidade Alta é para a realização de compras no centro comercial local (76,7%); seguido de serviços bancários (44,3%); por trabalhar na região (29,6%); a busca por serviços de bares e restaurantes (24,6%); passeios e diversão (15,3%); consultas médicas (10,1%) e estudos (5,5%).

Os produtos ou serviços que os consumidores do Centro de Natal mais procuram são em estabelecimentos comerciais de roupas, calçados e acessórios (80%); serviços bancários (29,3%); alimentação (28%); farmácia, perfumaria e cosméticos (22,8%); cama, mesa e banho (12,8%); eletrônicos e informática (12,1%); eletrodomésticos (11,3%), entre outros.

Porém, antes de realizar as compras, os consumidores que vão ao Centro da Cidade realizam pesquisas (78,5%), sendo que as mulheres (81,6%) pesquisam mais os preços do que os homens (75,3%). O valor médio gasto no local é de R$ 154,91, sendo o consumidor que reside na zona Leste o que mais gasta quando vai ao Centro da Cidade (R$ 172,28, em média) e o que menos gasta é o da zona Sul (R$ 140,22, em média). Outra comparação de gasto é entre homens e mulheres, no qual o público masculino desembolsa em média R$ 168,49, enquanto as consumidoras gastam R$ 142,07. A maioria dos consumidores preferem o pagamento à vista/dinheiro (59,9%).

Os principais fatores que influenciam os consumidores a escolher o centro comercial da Cidade Alta para realizar compras são localização (59,7%) e preço dos produtos (24%). As outras características que podem influenciar são opções de lojas, tradição, comodidade, variedade, qualidade dos produtos e formas de pagamento, que respectivamente são demonstrados na pesquisa com 17,8%; 10,1%; 9,7%; 5% e 1,8%.

Em relação à frequência com que compra no Centro, mais de 57,7% dos consumidores têm o costume, mesmo que às vezes, de comprar em lojas do centro comercial, e 38,4% afirmam que sempre compram no comércio dessa região. Além disso, o levantamento do IPDC/Fecomércio RN verificou que 45,4% dos entrevistados relataram que sempre acham o produto para consumo; 34,8% disseram que na maioria das vezes encontram; 19,3% responderam que às vezes conseguem e 0,5% responderam que nunca encontram o que buscam no comércio da região.

Em média, os consumidores visitam a área comercial do Centro de Natal nove dias por mês, e em média, passam 2h e 36 minutos no local. Os consumidores ainda disseram que o melhor dia para fazer compras é o sábado (30%).

Os frequentadores do comércio do Centro da Cidade foram perguntados sobre as melhorias que desejam no local, e 41,8% sugerem melhorias na segurança pública. Outro fator cobrado pelos consumidores é a criação de mais vagas de estacionamento, citada por 38,6% dos respondentes. Na pesquisa foi constatado que 22,5% vão de carro e 5,1% de motocicleta para o Centro.

Além disso foram apontados como pontos de melhoria a diversidade de produtos (9,8%); o atendimento das lojas (9,8%); o trânsito e o transporte público (8%); a infraestrutura, iluminação e limpeza (6,3%); e mais opções de lojas (5,8%).

Os consumidores entrevistados informaram que gostariam de ver propaganda das lojas do comércio da Cidade em televisão (62,2%), internet/redes sociais (39,8%) e rádio (4,8%).

Veja outras notícias